Engenharia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

De acordo com a Wikipedia, a definição de Engenharia seria essa:

Engenharia é aplicação do conhecimento científico, econômico, social e prático, com o intuito de inventar, desenhar, construir, manter e melhorar estruturas, máquinas, aparelhos, sistemas, materiais e processos. É também uma profissão em que se adquire e se aplica os conhecimentos matemáticos, técnicos e científicos na criação, aperfeiçoamento e implementação de utilidades que realizem uma determinada função ou objetivo.

Nos processos de criação, aperfeiçoamento e implementação, a engenharia conjuga os vários conhecimentos especializados no sentido de viabilizar as utilidades, tendo em conta a sociedade, a técnica, a economia e o meio ambiente.

A engenharia é uma área bastante abrangente que engloba uma série de ramos mais especializados, cada qual com uma ênfase mais específica em determinados campos de aplicação e em determinados tipos de tecnologia.[1]

Engenheiro – O profissional da engenharia

Conforme o verbete Engenheiro, na Wikipedia:

“Um engenheiro é um profissional de engenharia, preocupado com a aplicação do conhecimento científico, matemática e criatividade para desenvolver soluções para problemas técnicos. Engenheiros projetam materiais, estruturas e sistemas, considerando as limitações impostas pela praticidade, regulamentação, segurança e custo. [1][2] É uma pessoa com formação técnico-científica que o torna capaz de resolver problemas tecnológicos, práticos e muitas vezes complexos, ligados à concepção, realização e implementação de produtos, sistemas ou serviços. A palavra engenheiro possui raízes no latime é derivada de ingeniare (“inventar”) e ingenium (“inteligência”). [3][4] O engenheiro pode atuar dentro de várias especialidades, dentre elas: Aeronáutica,Agronomia, Civil, Computação, Controle e Automação, Elétrica, Física, Mecânica, Mineração, Produção, Química, Têxtil, Aeroespacial, entre outras.

Engenheiro no Brasil

A profissão de Engenheiro no Brasil possui elevada demanda e, por este motivo, alta empregabilidade. As necessidades brasileiras demandariam a formação de cerca de 60 a 80 mil novos engenheiros por ano, porém diplomam-se apenas 42,8 mil anualmente. Apenas 6% dos universitários brasileiros são concluintes de uma das engenharias, enquanto nos países asiáticos e na maioria dos países desenvolvidos esse índice varia de 15 a 35%.[5]

Diz ainda a Wikipedia, a respeito da profissão de Engenheiro (dentro do contexto do verbete Engenharia):

“O engenheiro é o profissional que exerce a prática de engenharia.

Em muitos países, o exercício da profissão de engenheiro obriga, para além da habilitação com um curso superior de engenharia, a uma licença ou certificação profissional atribuída pelo estado, por uma associação profissional, ordem ou instituição de engenheiros ou por um outro tipo de órgão de regulamentação profissional. Conforme o país, aos profissionais devidamente certificados ou licenciados está reservado o uso exclusivo do título profissional de “engenheiro” ou estão reservados outros títulos formais como “engenheiro profissional”, “engenheiro encartado”, “engenheiro incorporado”, “engenheiro diplomado” ou “Engenheiro Europeu“.

Normalmente, a lei restringe a prática de determinados atos de engenharia aos profissionais certificados e habilitados para tal, ainda que a prática dos restantes não esteja sujeita a essa restrição.

Para além da certificação como engenheiro propriamente dito, em alguns países existe a certificação como técnico de engenharia ou engenheiro técnico, associada aos profissionais com uma habilitação correspondente a um curso superior de 1º ciclo na área da engenharia.”

Anúncios